Brilhar como um vaga-lume para vencer o medo da noite.

POEMA: EU PRECISO BRILHAR COMO UM VAGA-LUME.

Parte 1 Vaga-lume.

Preciso brilhar como um vaga-lume,

Para vencer os mistérios da noite.

Se eu vencer os mistérios da noite,

Vencerei os mistérios do dia.

Preciso brilhar como um vaga-lume,

Que voa na noite com tal costume.

vaga-lume
Imagem: Pixabay

 

De tanto viver com a luz apagada,

Por causa do medo,

Surgiu uma luz, assim do nada.

Luz que vem de um simples vaga-lume.

 

Preciso brilhar como um vaga-lume,

Para enfrentar os terrores.

São tantos os terrores da noite.

Também são os da luz do dia.

 

Mas como vou brilhar?

Olhando para o vaga-lume.

Este tem a luz,

Mas não tem perfume.

Eu, é claro, não tenho luz,

Mas tenho meu perfume.

 

Preciso exalar meu perfume.

Toda pessoa tem seu perfume.

Para descobrir o cheiro que tem,

Saia na noite como pirilampo.

Verá que de bom alguma coisa tem.

 

Somente não quero exalar o medo.

Aquele que vem das raízes da noite.

Plantas que emitem terrores.

São muitos os terrores da noite.

Por isso preciso brilhar como um vaga-lume.

 

Terrores que têm asas e olhos.

Mas de um quero ter medo.

De não brilhar como um vaga-lume.

Parte 2 Medo da noite.

Mesmo na noite que possa vir a me entristecer,

Eu preciso brilhar como um pirilampo,

Que voa na noite com tal costume.

 

Mas jamais me esconder,

Por causa dos terrores da noite.

E para não me esconder,

Apenas brilhando como um vaga-lume.

 

Igual àquele que se esbarrou em meu pescoço,

Naquele dia de intensa tristeza de um medo sem nome.

O bichinho me fez lembrar que preciso brilhar,

Para suportar a noite de qualquer lugar.

 

Brasília, DF, em 26 de outubro de 2018.

 

Preciso brilhar como um vaga-lume. Poema de Bomani Flávio.

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: