Estiagem de chuva no quintal.

 POEMA: ESTIAGEM DE CHUVA NO QUINTAL.

 

Parte 1 seca de chuva.

Haverá dia em que terá tristeza,

Imensa Tristeza,

Pela intensa chuva que passou,

Mas não deixou cair uma gota d´água sobre seu quintal.

Ficou tão estarrecido,

Talvez até doente,

Que a estiagem de chuva no quintal assombrou você.

seca
Imagem: Pixabay

 

Seara que dói por algum tempo.

Às vezes por longo tempo.

Dor sobremaneira,

Para quem ainda não experimentou longo tempo de estiagem.

 

Quando for assim,

Não tenha inveja da água,

Que caiu sobre o quintal do vizinho,

Mesmo que tenha sido abundante.

 

Em época de estiagem de chuva,

De extrema estiagem,

Nada melhor do que apreciar o céu estrelado sem fim.

De preferência, deitado em uma rede,

Para refletir sobre os solavancos da vida,

Os quais não terá resposta pronta e rápida.

Parte 2 Seca de chuva.

Tudo parece sem fim neste mundo!

Inclusive a estiagem!

Inclusive a resposta!

 

São as medidas incertas que servem para medir

O que ainda não foi medido,

Pela brevidade da vida sem fim.

Mas um dia a estiagem vai passar

E a água, se não cair em seu quintal nas próximas estações,

Pelo menos tenha fé que caia ao menos uma gota d’água,

Que pode, surpreendentemente, revitalizar o seco quintal.

Principalmente porque chuva e estiagem são paisagens,

Que, ao longo da vida, você enfrentará.

 

Pois o quintal é o seu quintal.

Em época de estiagem,

De extrema estiagem,

Os olhos devem sempre mirar o céu,

Na esperança de mudança de paisagem.

 

Brasília, 3 de outubro de 2017 às 11:51

 

©Estiagem de chuva no quintal. Poema de Bomani Flávio

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

 

Clique aqui para curtir a página no instagram

https://bomanipoesia.blog/2018/06/23/poesia-sobre-lua-minguante/
Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: