Testamento da minha vida.

POEMA: BREVE TESTAMENTO DA MINHA VIDA.

Testamento da vida.

 

Breve testamento da minha vida será lavrado quando eu nascer.

Não quando envelhecer.

Item inicial será a chupeta, meu terceiro peito.

Disporei de todas as fraldas descartáveis, 

Inclusive as reaproveitadas pela escassez de dinheiro.

testamento

Imagem: Pixabay

 

Os bodies, que forem se perdendo,

Leiloados serão entre os que esqueceram da minha chegada.

 

Há cartório de registro para isso.

O tabelionato da justiça precoce.

 

Breve testamento da minha vida será lavrado quando ao útero eu voltar.

Não quando nascer.

As despesas com o pré-natal certamente rateadas,

Mas jamais esquecidas,

Entre aqueles que pouco caso fizeram da barriga crescente da minha mãe.

 

Há cartório de registro para isso,

O tabelionato da justiça precoce.

 

Breve testamento da minha vida será lavrado quando não mais eu tiver juízo,

Tijolo ingrato e infiel.

Herança das imprevistas relações do gênesis.

 

Há cartório de registro para isso,

O tabelionato da justiça precoce.

 

Declaração de vontade, já nascido, jamais eu daria.

Minha mãe não saberia,

Porque estaria esperando meu irmão,

Com nova barriga,

Que cresce a cada dia.

 

Depois de todo o esforço em vida,

Compensaria voltar ao útero materno,

Para avaliar os olhos dos descontentes.

Não poderia haver o fim.

Mas sempre voltar-se para o início.

 

Mas não há cartório de registro para isso.

O tabelionato da justiça tardia.

 

©‎Testamento da minha vida. Poema de Bomani Flávio

—***—-

—***—-

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

 

Deixe uma resposta

  1. Amei essa poesia!!!!!! Belíssimo jogo de palavras!!!! Minha irmã tem que ler, ela tá com bebezinho de colo. Vai amar igual eu!!!!!!!

  2. Pingback: Viração do dia. Poema de Flávio dos Santos Ferreira. | Poesias - Blog. |

  3. Pingback: A consciência negra. Poema. | Poesias e contos - Blog. |