Venda no dia internacional contra o preconceito racial.

POEMA: VENDA NOS OLHOS NO DIA INTERNACIONAL CONTRA A DISCRIMINAÇÃO RACIAL.©‎


Hoje é o Dia internacional contra o preconceito racial.

A celebração parece bem real.

Escrevi a frase durante sete dias,

Na faixa de sete metros,

Dentro do meu pequeno quarto.

Estender o braço no dia internacional contra a discriminação racial.


Se tiver braço negro,

Se tiver braço branco,

Se tiver braço amarelo,

Se tiver braço índio,

Não sei qual será a cor do braço,

Vou estendê-lo na praça,

Para combater a discriminação racial.

Praga animal,

Que vem dos lindos olhos do anjo bom

E também do anjo mal.

 

Esticarei meu braço,

Com o punho fechado, bem na praça central da cidade,

Para anunciar que hoje é um dia para lá de especial.

Dia internacional contra a discriminação racial.

Estender o braço no dia internacional contra a discriminação racial.

 

Chamarei pessoas solidárias,

Não importa a cor do braço,

Para colocar venda nos olhos.

Vergonha é para sentir,

Lá no fundo do coração,

De quem não filtra o juízo do valor.

Tudo no dia internacional contra a discriminação racial.

 

A venda nos olhos é para encobrir as vestes nuas,

De quem acha que tem olhos bem vestidos.

Pessoas poderão doar sangue,

Para ajudar o hemocentro da cidade.

Não importa o tipo sanguíneo,

Todos verão que a cor do sangue,

Só remete ao vermelho,

Substância que deixa todos na mesma cor,

Já que extingue o preconceito no momento da dor.

 

Hoje é o dia internacional contra a discriminação racial.

Data desnecessária,

Se a intolerância não imitasse a onda do mar,

Que vai e vem, para arrebentar-se,

Contra os corações, que não são pedras nem rochedos.

VENDA NOS OLHOS PARA COMBATER O JUÍZO DE VALOR.

 

Venda nos olhos, nem que por minutos,

No dia internacional contra a discriminação racial.

Fechar o juízo de valor, por instantes,

Pode fazer muito bem ao próprio juízo de valor.

 

Brasília, DF, Brasil, 15 de fevereiro de 2018.

©Hoje é o dia internacional contra a discriminação racial. Poema de ‎Bomani Flávio.

—***—-

Clique aqui para curtir a página no facebook


Clique aqui para curtir a página no instagram

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: