Lições de uma noite escura de céu estrelado.

POEMA: LIÇÕES DE UMA NOITE ESCURA DE CÉU ESTRELADO.

Parte 1 Céu estrelado.

Noite escura de céu estrelado,

De tanto me encantar,

Vai, finalmente, mostrar o que tem além das estrelas?

Tão próximas umas das outras.

Uma, duas, três, vinte e sete.

A contagem logo me cansa,

Por causa da colossal fotografia celeste.

São milhares de milhares,

Que não consigo sequer contar.

Mais uma vez o fascínio encanta meus olhos,

Que se convencem de tanta beleza,

Mas também de intermináveis perguntas.

ceu estrelado
Imagem: Pixabay

 

O que há além das estrelas?

Ou antes das estrelas?

Poderia ser o multiverso?

Por que as estrelas parecem tão próximas umas das outras?

Talvez seja miragem dos meus olhos.

Aliás, por que precisa-se de tantas estrelas?

Não bastava uma ou duas?

Uma já me impressiona.

Duas ou mais me fascinam.

Milhares estarrecem meu ser.

Parte 2 Céu estrelado.

Noite escura de céu estrelado.

Vejo extrema beleza no mundo de cima.

Complexidade que não cabe em meus olhos.

O mundo de baixo,

Onde vivo,

Parece mais complexo do que o de cima.

 

O mundo de baixo tem concentração de renda.

Pouca gente para muita grana.

Muita gente para pouco dinheiro.

Fama sem conteúdo.

Dívida bancária que nunca acaba.

Riquezas e mais riquezas para ricos.

Tudo em nome da vida eterna,

Que aqui embaixo não tem.

Eterna só no mundo de cima.

 

Noite escura de céu estrelado.

Você não é alguém,

Mas é um teto,

Isto é, um complicado teto.

Bem mais do que um complicado teto,

Para minhas lamentações,

Provocadas pelo mundo de baixo.

 

Olhe para o mundo de baixo.

Verá intermináveis estrelas.

Tão numerosas quanto as de cima.

Impossíveis de se contar.

Estrelas que provocam milhares de lamentações,

Neste primeiro de maio.

 

Brasília, DF, Brasil, em 01 de maio de 2018.

 

Poema de ‎Bomani Flávio.

 

—***—-

Clique aqui para curtir a página no facebook
Clique aqui para curtir a página no instagram

 

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: