Socorro, meus amigos sumiram!

POEMA: SOCORRO, MEUS AMIGOS SUMIRAM!

Parte 1. Os amigos.

 

Socorro, meus amigos sumiram!

O que está acontecendo?

Os amigos sumiram.

Agora não sei o que fazer.

amigos1
Imagem: Pixabay

 

O que devo fazer?

Quando os amigos desaparecem,

O quintal fica triste.

O sorriso fica nas lembranças,

E todos correndo nas fotografias.

 

Socorro, meus amigos sumiram!

Nas fotos todos estão presentes.

Mas no dia a dia a solidão está a abater.

 

Por que foram embora?

É isso que não sei responder.

Eles foram embora.

Não deixaram recado.

Agora não sei o que fazer.

 

Amigo é patrimônio da vida.

Bem que não se deprecia,

Se for pedra bem lapidada,

No fogo, a amizade sempre será testada.

 

Socorro, meus amigos sumiram!

Reclamação ouço de toda parte.

Minha esposa indaga onde estão meus amigos.

Ela diz diz que tem várias amigas.

Sou homem e não recebo visita.

Será que sou um homem parasita?

 

Parte 2. Os amigos.

 

Socorro, meus amigos sumiram!

Agora não sei o que fazer.

Passei a vida toda tendo amigos.

Hoje resta saldo zero como nenhum.

 

Sábias, pois, são as perguntas da vida.

Contraditórias são as respostas.

Se há amigos fora do universo,

Por que também não estão dentro do universo?

 

Socorro, meus amigos sumiram!

Agora não sei o que fazer.

Busco amigo que seja da lua.

Busco amigo que seja do sol.

Busco amigo que seja amigo.

 

Socorro, meus amigos sumiram! Poema de Bomani Flávio. 

 

Brasília, DF, Brasil, em 28 de agosto de 2018.

 

 

Clique aqui para curtir a página no facebook
Clique aqui para curtir a página no instagram

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: