Leis do casal queimadas no incêndio.

POEMA: LEIS DO CASAL QUEIMADAS NO INCÊNDIO.

Parte 1. Leis do casal. 

Leis do casal vigoraram por meses, anos.

Leis que, porém, o incêndio consumou.

Que desastre naquela tarde de domingo!

Mas o que sobraram foram as cinzas,

Abundantes cinzas,

Que, no final, não encheram a palma da mão.

Como aquelas labaredas de fogo,

Tão tímidas,

Destruíram tão rápido as leis do casal?

leis do casal
Imagem: Pixabay

 

Incêndio, tamanho que seja, destrói quaisquer leis,

Se não forem guardas na porta e dentro do coração.

Infelizmente, uma só carne atingida,

Infelizmente, intempéries de dois corações.

 

Todo relacionamento começa com o mínimo de leis,

Para juntar uma só carne, se não forem fúteis.

Do nada e do nada a labareda surgiu.

Mas quando há desastre,

Caça-se o culpado.

Base para a trivial pergunta,

Que ressoa como o eco dos sinos da igreja.

Quando se destrói as leis do casal,

De quem será a culpa?

Parte 2. Leis do casal.

Culpa, culpa e culpa!

Talvez não se tenha culpado.

Talvez a culpa sejam das próprias regras.

Leis não foram feitas para serem pisadas,

Nem destruídas na raiva existente no incêndio.

 

Nunca deixe as leis serem amassadas e pisadas.

Caso contrário se transformarão em cinzas.

As leis do casal serão imunes a incêndio,

Se ficarem longe, bem longe, das malícias das miudezas.

 

Leis do casal queimadas no incêndio. Poema de Bomani Flávio. 

 

Brasília, DF, Brasil, em 05 de setembro de 2018.

 

Clique aqui para curtir a página no facebook
Clique aqui para curtir a página no instagram

 

 

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: