Carregando a catedral de Brasília.

POEMA:CARREGANDO A CATEDRAL DE BRASÍLIA.

 

Parte 1 Carregando a catedral de Brasília.

 

Carregando a catedral de Brasília.

Sobre minhas pequenas costas,

Estou carregando a catedral de Brasília.

Se não carregou nenhuma,

Que não venha com zombaria.

O suor vem,

O frio vem,

A tremedeira vem.

Não me importo com a tonelada de peso,

Nem com tamanha zombaria.

catedral de Brasília
Catedral de Brasília Imagem: Pixabay

 

Aliás, a pior gozação é entregar-se ao medo,

Sem expor-se a ninguém.

Alucinações,

Vozes,

Medo de dormir.

O pavor extravasa a sacola de mercado,

De quem se fecha todos os dias.

 

E nisto repilo agora como ninguém.

Sobre minha dolorida costas,

Estou carregando a igreja de Brasília.

 

Carregar a catedral de Brasília é encontrar-se consigo,

Na terra de ninguém.

É saber andar sozinho consigo,

Sem reclamar que não tem amigo nem alguém.

 

É melhor levar a estrutura de engenharia nas costas,

Do que levar o fardo que machuca todos os dias.

Quero ser livre para andar, para rir, para chorar.

O viver está acima de todas as amarras,

Que não se podem levar nas costas todos os dias.

 

Brasília, 13 de janeiro de 2019.

 

Carregando a catedral de Brasília. Poema de Bomani Flávio.

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

 

 

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: