Peixes no mar e o pescador.

POEMA: COMO PEIXES NO MAR.

 

 

 

Parte 1 Como peixes no mar.

 

Como peixes no mar.

Somos como peixes no mar,

Que é belo lugar.

Mas vem o impiedoso pescador,

Joga o anzol,

E somos apanhados do mar.

Apanhados sem piedade.

peixe
Imagem: Pixabay

 

Mas pergunta para o peixe,

Nunca gostaria de sair do mar.

Sai contra a vontade.

O desejo é flutuar nas águas,

Sem ameaças do anzol

E de ninguém mais.

 

Tudo porque somos peixes.

Nadamos na água.

Vivemos na água.

 

Ali é a nossa vida.

Nosso passado.

Nosso futuro.

Mas, no fim, de quem é o futuro?

Do implacável pescador.

 

Isso acontece sempre.

Tudo que ornamenta atrai os olhos.

Os olhos do ambicioso pescador.

 

Não importa o lugar,

Haverá sempre o pescador,

Que vive fora da  água,

Para a presa pescar.

 

Pescador invisível.

Não importa o que fizemos.

Joga o anzol

E nos tira do mar.

 

Com isca ou sem isca,

Somos tirados do mar.

Simplesmente para virar peixe estraçalhado,

Peixe congelado,

Peixe fresco,

De um supermercado,

De um açougue,

De um feirante.

Talvez até de um ninho de uma colina

Às vezes até de um bicho qualquer.

 

Peixe que vai para a boca,

Que vai para o lixo.

 

Essa é a vida de todo o peixe:

Virar comida do pedrador. 

Mas o que eu e todo peixe quer é libertar-se.

Viver para sempre sob ás águas,

Livre do pedrador.

 

Mas como matar o pedrador?

Tirá-lo da terra e

Empurrá-lo para dentro do mar.

Assim sentirá na pele a vida de um peixe.

Se não der certo,

Talvez inverter o caminho.

Aprender a andar sobre a terra,

Para matar o pedrador.

 

Brasília, 30 de dezembro de 2018.

 

Peixes no mar e o pescador. Poema de Bomani Flávio.

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

 

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: