O Hubble devia fotografar meu quintal.

POEMA: O HUBBLE DEVIA FOTOGRAFAR MEU QUINTAL.

Parte 1 Hubble.

O Hubble está bem longe.

Voando para fotografar outros quintais.

Aqueles mais distantes.

Terras de perder de vista.

Grandeza que não consigo entender.

Mas devia fotografar meu quintal.

O que mais me chateia.

Onde estou agora.

O quintal de perto.

O que vejo além da janela.

Espaçosinho que faz os olhos encher-se de lágrimas.

Faz doer à cabeça.

Quintal que exige dinheiro no bolso.

Tudo tem que ter dinheiro.

Quando não tenho, não sou nada.

Hubble
Imagem: Pixabay

Este quintal é bem difícil de entender.

Se a missão do Hubble parece difícil,

A minha só tem aparência de fácil.

 

Ora as pessoas estão alegres,

Outras vezes estão tristes e violentas.

Transparece alegria em tempos de paz.

Outras vezes querem destruir este templo,

Que é o vilarejo onde moro.

 

Quintal compartilhado que me dar tremenda dor de cabeça.

Penso às vezes em fugir para além das montanhas.

Mas será que o quintal de lá é mais tranquilo do que onde eu estou? 

 

Talvez seja melhor ficar no meu próprio quintal.

Assim terei que suportar a cidade inteira,

Para viver bem.

A começar por minha família,

Meus amigos, trabalho, faculdade, meu País.

Todos com mandamentos de encher livros e livros.

 

Tomara que as fotografias do Hubble desvendem as origens do universo.

Quem sabe possam servir para desvendar as tantas cercas,

Infinitas e complexas cercas,

Dentro do meu próprio quintal.

 

Brasília, 10 de fevereiro de 2019.

 

O Hubble devia fotografar meu quintal. Poema de Bomani Flávio.

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: