Voando de paraquedas aos 102 anos de idade.

POEMA: VOANDO DE PARAQUEDAS AOS 102 ANOS.

Parte 1 Paraquedas

Homenagem a Dira, moradora de Boituva, São Paulo.

Voando nos céus de paraquedas,

Para entender o sentido da vida.

Estou voando no paraquedas,

Tendo na bagagem muita vida.

A de cento e dois anos de idade.

Será agora meu estilo de vida?

Se não superar o paraquedas,

Como vou superar as inevitáveis quedas?

sentido da vida3
Imagem: Pixabay

 

O chão eu já conhecia demais.

Precisava também conhecer os ares.

Voar como aqueles animais,

As aves do céu.

Se o chão fascina os olhos,

Do alto pode haver muita emoção.

 

Então pode divulgar para todo o mundo.

Estou voando de paraquedas,

Para a vida não ser tão azeda.

 

Não há restrição para a idade,

Se tudo vem da vontade.

A fragilidade poderá estar no coração,

Nem tanto na cautelosa razão.

 

Estou voando de paraquedas,

Nos cento e dois anos de idade.

Tudo vem da vontade,

Mas tem que ter coragem.

Todo o ser consegue realizar proeza,

Mas, na debilidade, tem que ter frieza.

 

Brasília, DF, em 01/04/2019.

 

 

Voando de paraquedas aos 102 anos. Poema de Bomani Flávio.

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

 

 

Fonte de inspiração: https://g1.globo.com/sp/itapetininga-regiao/noticia/2019/04/01/idosa-de-102-anos-salta-de-paraquedas-com-a-filha-e-a-neta-em-boituva.ghtml

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: