Os meteoros ou meteoritos destruíram o nosso amor.

POEMA: OS METEOROS OU METEORITOS DESTRUÍRAM O NOSSO AMOR.

Parte 1 O Meteoros e os meteoritos.

Tudo por causa dos meteoros ou meteoritos,

Que eu não vi chegar.

O amor dos anos acabou de pegar o táxi.

Brigou com o céu.

Xingou a vida.

E quem sobreviveu?

A casa, quase destruída, e eu.

meteoro ou meteorito
Imagem: Pixabay

 

Quando se perde o amor,

Não adianta fazer clamor.

Talvez o remédio seja olhar para o céu,

Com indagações repetitivas,

Que beiram a fariseu.

 

De onde veio então o meteoro de Chealiabinsk?

De onde veio o meteoro do Mar de Bering?

Vieram além da vastidão,

Além da noite ou do incrível céu azul.

 

Músculos que contam histórias do universo.

Muitas de assombrar os olhos.

Talvez a mais deslumbrante:

O impacto chama a atenção na sombra do céu azul.

meteoro ou meteorito
Imagem: Pixabay

 

Forma um rabisco de fascinante luz,

Que vem do alto até embaixo.

Como som de turbina de avião.

Chega com imensa luz e explosão.

Que poder da coisa errante!

Coisa errante capaz de matar ou assustar a qualquer um.

 

Muitas coisas errantes, pois, vêm de cima.

Sem piloto, sem volante,

Atropela a quem estiver na frente.

Coisas errantes capazes de matar ou assustar a qualquer um.

 

Mas de onde vêm as coisas errantes,

Que às vezes, por motivo diverso, levam o amor?

O amor começou cheio de aroma,

De fragrância com cheiro de lilás.

 

Vieram, porém, inesperados meteoros ou meteoritos.

Não foram identificado nos céus.

Chegaram tão de mansinho,

Que arrasaram com o nosso amor.

Amor de anos não resiste a meteoros ou meteoritos,

Se a base, mínima que seja, vier da porcelana.

 

Infelizmente os meteoros ou meteoritos minaram a casa.

Trincos surgiram, que eu não consigo reparar.

Talvez consiga encontrar o rastro,

Com o fiel cigarro,

Que agora incansavelmente levo à boca.

Talvez na fumaça eu consiga encontrar as razões,

Que convenceram meu amor a pegar o táxi.

 

Brasília, DF, em 09 de abril de 2019.

 

Os meteoros ou meteoritos destruíram o nosso amor. Poema de Bomani Flávio.

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

 

 

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: