Flutua barco sobre o denso mar.

POEMA: FLUTUA BARCO SOBRE O DENSO MAR.

Parte 1 Azul do céu.

 

Flutua barco sobre o denso mar.

Em época da lágrima que não chora,

O que se pode desejar?

Para entreter a mente,

A receita pode ser o mar.

Mesmo naquele na minúscula bacia

Como se fosse brincar.

 

Flutua barco sobre o denso mar.

O que um homem pode desejar,

Além do mar?

Tantas coisas podem desejar,

Se for para desvendar

O que existe acima do mar.

Imagem: Pixabay

 

Se as águas do mar encantam de amedrontar,

O azul do céu é maior do que o do mar.

O céu azul encobre o que o homem não vê,

Se também não esconder as do mar.

 

Flutua barco sobre o denso mar.

Preciso enxergar além do céu azul.

O azul acentua minha miopia,

Mas o que eu quero estar bem além do azul.

 

Galileu Galilei enxergou além do céu azul.

Viu que a Terra gira,

No espaço que não é azul.

 

Os navegadores venceram o azul do mar.

A recompensa veio com novas terras,

Que existiam do outro lado do mar.

 

Flutua barco sobre o denso mar.

Tem muita coisa além do céu azul.

Tem as estrelas, a lua, o universo.

 

Parte 2 Azul do céu.

 

Mas também pode ter muitas lágrimas,

Das tristezas sem fim.

A vida termina com lágrima,

Mas o início parece de extrema alegria.

 

Flutua barco sobre o denso mar,

Mesmo que dentro desta bacia.

Bom seria que o que estarrece

Pudesse ser colocado dentro de uma bacia.

 

Mas se não ficasse dentro de uma bacia,

Pudesse ficar exposto sobre uma mesa.

Como meu coração, por exemplo

Provavelmente eu não estaria ali,

Já que o material conteria ossos,

Tecidos, pele e sangue.

Onde estaria, pois, o meu verdadeiro ser?

 

 

Brasília, DF, em 10 de junho de 2019.

 

Flutua barco sobre o denso mar. Poema de Bomani Flávio.

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: