Flutua barco sobre o denso mar.

POEMA: FLUTUA BARCO SOBRE O DENSO MAR.

Parte 1 Azul do céu.

 

Flutua barco sobre o denso mar.

Em época da lágrima que não chora,

O que se pode desejar?

Para entreter a mente,

A receita pode ser o mar.

Mesmo naquele na minúscula bacia

Como se fosse brincar.

 

Flutua barco sobre o denso mar.

O que um homem pode desejar,

Além do mar?

Tantas coisas podem desejar,

Se for para desvendar

O que existe acima do mar.

Imagem: Pixabay

 

Se as águas do mar encantam de amedrontar,

O azul do céu é maior do que o do mar.

O céu azul encobre o que o homem não vê,

Se também não esconder as do mar.

 

Flutua barco sobre o denso mar.

Preciso enxergar além do céu azul.

O azul acentua minha miopia,

Mas o que eu quero estar bem além do azul.

 

Galileu Galilei enxergou além do céu azul.

Viu que a Terra gira,

No espaço que não é azul.

 

Os navegadores venceram o azul do mar.

A recompensa veio com novas terras,

Que existiam do outro lado do mar.

 

Flutua barco sobre o denso mar.

Tem muita coisa além do céu azul.

Tem as estrelas, a lua, o universo.

 

Mas também pode ter muitas lágrimas,

Das tristezas sem fim.

A vida termina com lágrima,

Mas o início parece de extrema alegria.

 

Flutua barco sobre o denso mar,

Mesmo que dentro desta bacia.

Barquinho de papel.

Bom seria que o que estarrece

Pudesse ser colocado dentro de uma bacia.

 

 

Brasília, DF, em 10 de junho de 2019.

 

Flutua barco sobre o denso mar. Poema de Bomani Flávio.

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: