Abra mão do proibido.

POEMA: ABRA MÃO DO PROIBIDO.

Parte Abra mão.

 

Nos próximos anos surgirão tornados,

Que adoram o proibido.

Estarão em diversos lugares,

Atraídos pelo pervertido.

Tornados que jogarão seus dardos,

Para pintar a todos como leopardo.

Então abra mão do proibido,

Para se livrar do pervertido.

abrir mão
Imagem: Pixabay

 

Porém, se não abrir mão do proibido,

Estará bem sucumbido.

Pois a vida não é uma arte.

A vida pode ser bem vivida,

Se não a viver de modo indevida.

 

Então abra mão,

Para expulsar o bandido,

Que gosta do ser bem confundido.

 

Alerta que veio da mão aberta,

Que deixou minha boca desperta!

Alerta que talvez não venha do acaso.

 

Mas se quiser abafar o caso,

Viverá na terra da fantasia,

Onde o prazer será em demasia.

 

Portanto, se não abrir mão do proibido,

Continuará na prazerosa terra do perigo.

Terra da fantasia que fecha a mão

Para apreciar o perigo.

 

Pois o escondido adora mão fechada,

Porque se esconde na fachada.

Por isso cuidado com a mão fechada.

Ditadura do satisfazer,

Que se esconde no prazer,

Desde os dias de ontem até os de hoje.

 

 

Brasília, DF, em 18 de novembro de 2019.

 

 

Abra mão do proibido. Poema de Bomani Flávio.

 

 

 

Clique aqui para curtir a página no facebook

Clique aqui para curtir a página no instagram

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: